Angola

band_angola.jpg

Huambo

bras_angola.jpg
Área
35 771 km2 (província)
População
1.204.000 habitantes (província)
Clima
Tropical de altitude
Recursos Económicos
Agricultura, pecuária, extração mineira
GPS
12º45'36''S 15º44'10''E

Elementos Institucionais

Adesão à UCCLA
2000
Aniversário
21 de agosto
Presidente da Câmara Municipal
Fernando Ferreira Vicente (Administrador do Município do Huambo)
Governador
João Batista Kussumua
Morada
Governo da Província do Huambo
Huambo, República de Angola
Email
http://www.huambo.gov.ao/centrocontactos.aspx

Breve História

A cidade de Huambo, capital da província do mesmo nome e a segunda maior cidade de Angola, foi fundada, em 21 de agosto de 1912, pelo Alto-comissário, General Norton de Matos. Denominada Nova Lisboa em 1928, recuperou o nome anterior após a independência, em 1975. A maioria da população pertence à etnia Ovimbundu. O topónimo Huambo deriva do nome de Wambo Kalunga, fundador do reino de Wambo. A província do Huambo estende-se a sul do Rio Kwanza, na zona do Planalto Central, onde se ergue o Morro do Moco (2620 m de altura), o ponto mais alto da província e do país. Limitado pelas províncias de Kwanza-Sul (Norte), Bié (Este), Huíla (Sul) e Benguela (Oeste), o Huambo está dividido em 11 municípios: Huambo, Bailundo, Ekunha, Cáala, Catchiungo (ex Bela Vista), Londuimbale, Longonjo, Mungo, Tchicala, Tcholoanga (ex Vila Nova), Tchindjenje e Ucuma (ex Cuma). A cidade do Huambo foi um polo de desenvolvimento económico, industrial e agropecuário e um centro de excelência no domínio académico, nomeadamente na área da investigação agrária e veterinária. Devastada durante os anos de guerra civil, tal como as infraestruturas existentes - estradas, vias férreas, escolas e hospitais -, tem vindo a ser reconstruída e recuperada com sucesso. O Huambo é uma região rica em recursos naturais e minerais, com uma vasta rede hidrográfica e um clima ameno que a tornam especialmente vocacionada para o desenvolvimento das atividades agropecuárias e agroalimentares. O subsolo é rico em minerais – manganês, diamantes, volfrâmio, ferro, ouro, prata, cobre, urânio, entre outros – e a extração mineira é uma atividade com enorme potencial económico. O Caminho de Ferro de Benguela (CFB), inicialmente destinado ao escoamento do cobre das minas do Katanga, que atravessa o Huambo no seu percurso até à fronteira com o Congo, fazendo a ligação entre o Lobito, na costa atlântica de Angola, até à cidade da Beira, na costa índica de Moçambique, através dos sistemas ferroviários da República Democrática do Congo e da Zâmbia, continua a ser um elemento essencial para o desenvolvimento económico, industrial e agropecuário da província e do país.