Angola

band_angola.jpg

Cazenga

bras_angola.jpg
Área
41 km2
População
425 000
Clima
Região semiárida de clima tropical quente e seco, com uma estação chuvosa de novembro a abril e uma estação seca de maio a outubro

Elementos Institucionais

Adesão à UCCLA
17 de maio de 2013
Aniversário
9 de Janeiro
Presidente da Câmara Municipal
Administrador Municipal: Albino Conceição José

Breve História

O Município do Cazenga é um dos sete municípios que compõem a província de Luanda, Angola. Situado numa região semiárida de clima tropical quente e seco, com uma estação chuvosa de novembro a abril e uma estação seca de maio a outubro, o Cazenga ocupa uma área de 41.6 km2 e é constituído pelas comunas do Hoji Ya Henda (Zona 17), Cazenga (Zona 18) e Tala Hady (Zona 19). É limitado, a Norte, pelo município do Cacuaco, a Sul pelos distritos de Kilamba Kiaxi e Rangel, a Leste pelo município de Viana e a Oeste pelo Sambizanga. O município tem cerca de 2 milhões de habitantes. Por volta do século XVII, a região onde se situa o atual Município, era uma zona distante dos aglomerados habitacionais de Luanda, povoada por animais selvagens que se dessedentavam nos riachos que ali existentes. Conta-se que foi durante este século que chegou a esta zona um cidadão proveniente da região que é agora a República do Congo, de nome Miguel Pedro Cazenga, que ali se instalou, ocupando uma enorme extensão de terra que ia desde a atual praça do Kinaxixi até ao atual Município de Viana. Miguel Pedro Cazenga e seus descendentes viveram desde aqueles tempos nestas paragens. Consta também que um deles, Pedro Guilherme Cazenga, faleceu na região do atual município a 9 de janeiro de 1946 e que em sua homenagem foi definida essa data como dia comemorativo do Município do Cazenga. No final da década de 1960, o Estado colonial construiu os chamados “bairros indígenas” para a população africana expulsa de áreas onde vivia e que iam sendo procuradas devido à rápida expansão da cidade e da população de origem europeia. Com a expansão de cidade de Luanda, a população africana foi sendo empurrada para a periferia, surgindo os chamados musseques. A esta população juntaram-se migrantes vindos do interior, atraídos pelas melhores oportunidades económicas de uma Luanda em expansão, o que resultou num contínuo no aumento da taxa de ocupação e da densidade populacional dos musseques. Estes bairros indígenas tinham um traçado organizado de ruas, que delimitavam quarteirões, num modelo que facilitava o controlo dos moradores pelas autoridades coloniais. Um destes bairros foi o “bairro do Cazenga” que, por ser considerado distante e isolado, se manteve durante muito tempo com uma taxa de ocupação baixa em comparação com outros bairros da época. No final do período colonial, foi estimulada a instalação de população de origem europeia nas zonas periféricas da cidade, o que aconteceu também na então freguesia do Cazenga. A partir dessa altura, o Cazenga recebe melhoramentos urbanísticos destinados à sua melhor integração no tecido urbano da cidade de Luanda. Em 1975, o Cazenga, em particular o que é hoje a Comuna do Hoji ya Henda, era um conjunto de bairros habitados maioritariamente por população de origem europeia. A partir de 1975, a guerra civil provocou a fuga de milhares de pessoas do interior do país para o litoral e, em particular, para a capital, sendo o Cazenga a zona que maior número de refugiados acolheu, o que explica o crescimento exponencial da sua população. O município sofre ainda de carências nas áreas sociais (escolas, saneamento básico, saúde) e económicas (em particular o desemprego, ou emprego no sector informal). No entanto, já está em curso um ambicioso projeto de requalificação urbana que irá mudar completamente a face do município e a vida dos seus habitantes. Este projeto, designado “Bola de Neve”, prevê a construção, num período de 20 anos, de habitações e infraestruturas para os cerca de 2 milhões de habitantes do Cazenga.