Guiné-Bissau

band_guine.jpg

Bissau

bras_guine.jpg
Área
77 km2
População
384 960 habitantes
Clima
Tropical húmido, com temperaturas estáveis (média de 26.º C). Chuvas de junho a novembro e elevada humidade durante este período.
Recursos Económicos
Agricultura e pesca: castanha de caju, amendoim (mancarra), madeira, coco e óleo de palma, entre outros; peixe e marisco. Produção de mel e seus derivados para comercialização e exportação.

Elementos Institucionais

Adesão à UCCLA
1985, sendo membro fundador
Aniversário
25 de janeiro
Presidente da Câmara Municipal
Luís Silva de Melo
Morada
Câmara Municipal de Bissau
Av. Domingos Ramos
Caixa Postal 34
Bissau, República da Guiné-Bissau
Telefone
(00245) 206 477
Fax
(00245) 201 032
Email
geral@cmbissau.com

Breve História

A vila de Bissau foi fundada no final do século VI (1692), junto ao estuário do rio Geba, o principal meio de comunicação entre o litoral e o interior do país. Na sua origem esteve a autorização do rei da Região de Bissau, Bacampolo-Có, para que fosse erguida uma fortaleza, a de Nossa Senhora da Conceição, mais tarde demolida por ordem de D. João V. A história de Bissau enquanto cidade começa em 1766, com a construção da Fortaleza da Amura, então baptizada com o nome de Praça de S. José em homenagem ao rei D. José I, de Portugal, que ordenou a sua construção. Posteriormente elevada a cidade, e apesar da sua dependência da Província de Cabo Verde, Bissau foi por duas vezes capital do distrito da Guiné Portuguesa, em 1836 e 1915, tornando-se definitivamente capital colonial em 1942. Já com estatuto de cidade, na década de 1950, Bissau foi objecto de um plano de urbanização. A estrutura do chamado “Bissau Velho”, em quadrícula, com um sistema de ruas rectilíneas, tinha como eixo principal a avenida da República, hoje avenida Amílcar Cabral. Nesta zona viviam maioritariamente portugueses europeus e situavam-se os serviços administrativos e casas de comércio. A população guineense foi remetida para as áreas limítrofes. Bissau manteve o estatuto de cidade capital após a independência da República da Guiné-Bissau, em Setembro de 1974. Porto fortificado e centro de comércio, é a maior cidade do País e, para além dos órgãos municipais, é também a sede do poder político, administrativo e militar. Feita de ruas direitas ladeadas de casas baixas, a cidade beneficia de uma paisagem e de um clima privilegiados que na proximidade do mar, na riqueza da terra e na diversidade das gentes que a habitam (20 grupos étnicos diferentes) encerra os vetores fundamentais do seu futuro. Bissau possui um excelente porto natural, através do qual o país exporta café, borracha, madeira, algodão e açúcar. A cidade, conhecida pelo seu Carnaval anual, tem vindo a investir na área do turismo. Um dos locais mais visitados pelos turistas é a fortaleza de Amura, que alberga hoje o mausoléu de Amílcar Cabral. Bissau tem acordos de geminação com as cidades de Águeda, Lisboa e Moura (Portugal) e Praia (Cabo Verde). Unidade monetária: Franco CFA (Comunidade Financeira Africana)