Reconstrução do Palácio de Lahane e construção da Residência Oficial em Timor-Leste
O denominado “Palácio do Governador” foi edificado por volta do último quartel do século XIX, e destinava-se à residência oficial do governador do território. Construído em plataformas situadas a meia encosta, com uma magnífica vista sobre Díli, sofreu várias alterações ao longo dos anos.
 
Visivelmente degradado com o passar do tempo (sobretudo após o referendo de agosto de 1999) foi objeto de protocolo, em 2004, entre o presidente da Câmara Municipal de Lisboa e o Primeiro-ministro da República Democrática de Timor-Leste, tendo em vista a sua reconstrução e requalificação, com a finalidade de albergar a residência oficial do Presidente da República.
 
O projeto ficou pronto em outubro de 2004 e, após obter a concordância das entidades envolvidas, deram-se início aos trabalhos que se prolongaram, sob gestão da UCCLA e com uma forte vertente de formação de trabalhadores timorenses, até finais de 2007.
 
Apesar das reduzidas dimensões do velho palácio, foi necessário ampliar consideravelmente a área de construção. Assim, optou-se, em termos de projeto, por duas filosofias distintas: a reconstrução fiel, o mais próximo possível, das construções existentes e respetiva envolvente, agora destinadas a espaço de receção e contemporaneidade nos dois novos edifícios, a residência propriamente dita, e um edifício de serviços; e as novas construções, em parte implantadas em plataformas já existentes, situadas a uma cota inferior à do palácio, não interferirem com a construção e espaço original, antes o prolongam e engrandecem na sua idiossincrasia.