Encontro de Escritores de Língua Portuguesa em Cabo Verde
Com o tema “À Margem da Literatura”, decorreu na cidade da Praia, de 26 a 29 de outubro, o VII Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, num evento que reuniu escritores, poetas, jornalistas e realizadores.
 
A abertura do evento contou com a presença do presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos, do vereador da cultura da Câmara da Praia, António Lopes da Silva, do presidente da EMEP (Empresa de Mobilidade e Estacionamento da Praia), Mário Fernandes, e do Secretário-Geral da UCCLA, Vítor Ramalho.
 
    
 
Para Vitor Ramalho esta edição “procura combinar o romance e a literatura, em geral, com os novos desafios que se abrem das novas tecnologias, sobretudo da imagem e as tecnologias de interação e a influência que têm nos meios de comunicação social”.
 
Referiu, ainda, as diversas ações que a UCCLA tem desenvolvido em Cabo Verde, sustentando a necessidade de reforço no projeto apresentado ao Instituto Camões com a Câmara de Lisboa, Polícia Municipal e Proteção Civil. O Secretário-Geral finalizou enaltecendo a importância de Cabo Verde na lógica geoestratégica, na boa governação e na relevância que a cultura sempre teve para o seu povo.
 
Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal da Praia, Óscar Santos, disse que este evento tem como principais objetivos a valorização da cultura como fator de desenvolvimento, de difusão e de promoção da literatura dos países que comunicam em português, contribuindo para colocar a cidade da Praia na agenda internacional de eventos culturais.
Segundo o autarca, estes encontros contribuem, ainda, para o fortalecimento de laços de cooperação e de troca de experiências entre os escritores de Cabo Verde com os diferentes países.
 
Estavam presentes, para além de representantes institucionais de Cabo Verde, um representante da AICEP, do Instituto Camões e o Embaixador do Brasil em Cabo Verde.
 
Após a sessão de abertura foi lançado o livro que reúne as intervenções da edição anterior dos Encontros de Escritores, pelo coordenador cultural da UCCLA Rui Lourido, e apresentada a obra vencedora do Prémio Literário UCCLA, da autoria do jovem brasileiro Thiago Braga com o romance “Diário de Cão”. Thiago Braga fez uma intervenção sobre os vários capítulos da obra e o editor João Pinto de Sousa comprometeu-se a fazer a divulgação da obra em dezembro.
 
 
Posteriormente foi exibido o filme “Os Imortais” de António Pedro Vasconcelos, que relata os efeitos psicológicos sobre os soldados na guerra colonial.
 
No dia 27 de outubro debateram-se as “Novas Tecnologias de Imagem e a Internet”.
 
Vera Duarte falou de “Lusofonia, Literatura e Televisão”. O cineasta Rui Simões discorreu sobre o tema “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão”. Zezé Gamboa sobre o seu filme “O Grande Kilapy” e de como surgiu a inspiração para o fazer. Diana Andringa abordou o tema “Uma palavra pode valer mil imagens” dando destaque à palavra escrita. César Schofield Cardoso debateu sobre “Cinematografias Quotidianas em Cabo Verde”.
 
    
 
Após as intervenções houve espaço para um teatro de marionetas intitulada " Novas histórias de Dom Roberto", encenado por Nuno Correia Pinto.
 
Da parte da tarde, tiveram lugar as seguintes intervenções:
- António Pedro Vasconcelos com o tema “A Bendita Mania de Contar” falou da relação entre o romance e as novas tecnologias e colocou a questão “Porque é que os grandes livros em regra não dão grandes filmes?”
- António Carlos Secchin abordou "A Poesia na Internet" 
- Fátima Bettencourt falou sobre “Literatura e Internet”
- Nuno Correia Pinto abordou “As Manifestações das Novas Tecnologias de Comunicação nas Artes Performativas” e nos meios tecnológicos que estão tão incorporados e são tão invisíveis que fazem a sua própria narrativa. 
 
    
 
 
O filme “O Grande Kilapy” de Zezé Gamboa finalizou o encontro deste dia.
 
 
O dia 28 de outubro ficou marcado pelo tema “Influência das Novas Tecnologias nos Meios Jornalísticos e na Escrita” e contou com as intervenções de:
 
- Nuno Rebocho com o tema “Escrever: Porquê? Para Quê? e Para Quem?” 
- Ana Mafalda Leite com o tema “Desafio das Novas Tecnologias no Desenvolvimento da Literatura Moçambicana” 
- Olinda Beja com a pergunta "Quem Somos?" - O Poder Da Mídia Na Difusão Da Literatura” 
- Rony Moreira com o tema “A Internet como Fonte de Poesia” 
- Thiago Braga com o tema “O Papel Do Artista Numa Época Dominada Pela Tecnologia” 
- Emílio Tavares Lima com o tema "Alta Definição Poética" 
 
 
 
Da parte da tarde, as intervenções prosseguiram com: 
- José Carlos Vasconcelos cujo tema foi “Novos ‘Meios’, Mas Para Os Mesmos Fins….” 
- Daniel Medina com o tema “Os desafios do Jornalismo na Era Digital”
- Giordano Custódio falou de “Liberdade de Expressão o Direito de Informação e as Novas Tecnologias” 
- Jorge Gonçalves falou da “Literatura e Media, a Grande Aliança” 
- Carlos Santos sobre “O Papel da Rádio Pública na Promoção da Língua e da Literatura no Contexto da Multimédia”
 
    
 
O Ministro da Cultura de Cabo Verde, Abraão Vicente, esteve presente neste painel e após o mesmo deu a conhecer aos presente a Festa do Livro Morabeza que acontecerá entre 30 de outubro e 5 de novembro.
 
Dada a relevância que a autarquia da Praia tem dado aos encontros de escritores, Óscar Santos apresentou a proposta de a cidade passar a ser palco dos futuros encontros anuais. Foi firmado um protocolo, no dia 28 de outubro, entre a UCCLA e a Câmara da Praia, para a realização da 8.ª, 9.ª e 10.ª edição do Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, na cidade.
 
O encerramento do VII Encontro de Escritores contou com a intervenção do Primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, que afirmou que uma das prioridades da presidência da comunidade de países de língua portuguesa, que Cabo Verde assume em 2018, é a criação de um mercado da arte e da cultura na CPLP.
 
    
 
O chefe do governo cabo-verdiano explicou que este mercado deverá promover a mobilidade dos artistas dentro da CPLP. A outra prioridade é a livre circulação de pessoas. Ulisses Correia e Silva lembrou que a iniciativa já foi lançada pelo atual Primeiro-ministro de Portugal.
 
Uma forte diplomacia cultural é outro ponto da agenda que, de acordo com o responsável, deve ser analisado de forma concertada para que seja concretizada.
 
 
 
 
O VII Encontro de Escritores de Língua Portuguesa envolveu mais de 20 autores dos países de língua portuguesa: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé. 
 
 
 
 
NOTA: Algumas das fotografias foram cedidas pela Câmara Municipal da Praia
 
 
 
 
 
Publicado em 30-10-2017