Portugal investe em autocarros amigos do ambiente
Portugal vai ter 516 novos autocarros a circular por todo o país, entre 2018 e 2020, dos quais 78 são elétricos e 438 são movidos a gás natural. A medida insere-se no pilar de valorização do território do Plano Nacional de Reformas lançado pelo governo em abril de 2016 e é financiada por um programa gerido pelo Ministério do Ambiente.
 
Com um investimento total de 156 milhões de euros, correspondente ao valor da aquisição dos autocarros por 11 empresas de transportes de passageiros, o programa comparticipa em 85% a diferença de valor entre um autocarro convencional e um autocarro "verde".
 
Este é apenas um dos exemplos das medidas de mobilidade sustentável que já estão a ser implementadas no âmbito do Plano Nacional de Reformas, que totaliza 139 medidas (66% das quais já em curso) em seis pilares estratégicos para resolver os principais problemas que ainda afetam a economia portuguesa: baixa produtividade e competitividade, elevado endividamento (público e privado) e persistência de desigualdades.
 
Com um orçamento total de 25 mil milhões de euros até 2020, o Plano Nacional de Reformas organiza-se em seis pontos - qualificação dos portugueses; inovação na economia; valorização do território; modernização do Estado; capitalização das empresas; e reforço da coesão e da igualdade social.
 
Assumindo-se como um dos pilares-chave do Plano Nacional de Reformas, a valorização do território engloba 32 medidas (62% das quais já em execução em meados de 2016) e um orçamento total de 7,4 mil milhões de euros. Neste contexto, a reabilitação urbana assume maior importância, com a reabilitação de 4000 edifícios públicos e privados através de apoios financeiros, e 3000 m2 de espaços públicos.
 
Outros objetivos da valorização do território passam pela redução do consumo de energia primária em 25% (30% na administração pública), duplicação do peso da economia do mar com a criação de um Fundo Azul, investimento na ferrovia com o Plano Ferrovia 2020 (obras já a decorrer nas linhas do Douro, do Norte e do Minho), a descarbonização da frota de táxis e a renovação de mil destes automóveis até 2020, e ainda a instalação de 2394 postos de carregamento de veículos elétricos, com um financiamento de 69,3 milhões de euros.
 
 
 
 
 
 
 
Publicado em 14-03-2017